Palestrantes e Oficineiros

ADALGISA CAMPOS
Profa. Titular da Universidade Federal de Minas Gerais: Departamento e Programa de Pós-graduação em História; pesquisadora do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico- CNPq entre 1994 e 2013; Colaboradora do Curso de Arte Sacra da Faculdade Arquidiocesana de Mariana. Historiadora do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) – de dezembro de 1983 a agosto de 1986 (BH); Ingresso por Concurso no Departamento de História da UFMG desde agosto de 1986; Licenciada e Bacharel em História pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG; Especialista em Cultura e Arte Barroca pelo Instituto de Filosofia, Artes e Cultura da Universidade Federal de Ouro Preto, Mestre em Filosofia pela UFMG; Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo; Bolsista de produtividade do CNPq entre 1996- 2013; estudos pós-doutorais de quatro sob orientação da Profa. Dra. Myriam Andrade Ribeiro de Oliveira da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Em suas pesquisas, orientações e publicações são enfocados temas relacionados aos rituais quaresmais e da Semana Santa na América Portuguesa; o mecenato das irmandades leigas e ordens terceiras; as devoções e sua iconografia, o ideário da morte e o culto às Almas do Purgatório; vida cotidiana de artífices e artistas e assuntos correlatos. Ministra cursos na Graduação e Programa da Pós do Departamento de História da FAFICH/UFMG e na Faculdade Arquidiocesana de Mariana (Pós-graduação lato-sensu em Arte Sacra e Filosofia da Arte). Representante da Associação Nacional dos Profissionais em História no Conselho Estadual do Patrimônio Cultural (CONEP) entre 2008-2011; editora chefe da Revista Varia História do Programa de Pós-graduação em História da UFMG de 2008 a maio de 2009. Apresenta experiência na organização de eventos da área e na edição de livros e periódicos.

ALEX BOHRER
Possui Graduação em História pela Universidade Federal de Ouro Preto (Licenciatura/ 2003 e Bacharelado/ 2004), Mestrado em História Social da Cultura pela Universidade Federal de Minas Gerais (2007), onde defendeu a Dissertação “OS DIÁLOGOS DE FÊNIX: Fontes Iconográficas, Mecenato e Circularidade no Barroco Mineiro”, e Doutorado em História Social da Cultura pela Universidade Federal de Minas Gerais (2015), onde defendeu a tese “A Talha do Estilo  Nacional Português em Minas Gerais: Contexto sociocultural e produção artística”. Possui experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil Colônia, atuando principalmente nos seguintes temas: Barroco Mineiro, Fontes Iconográficas na Arte Colonial Luso-Brasileira, Circularidade e Hibridismo Cultural e História de Minas Gerais. Foi fundador e primeiro presidente da AMIC (Associação Cultural Amigos de Cachoeira do Campo), entidade que se destaca pela promoção e incentivo à preservação do patrimônio histórico de Cachoeira do Campo, Minas Gerais. Presidiu a Câmara Setorial de Turismo de Cachoeira do Campo, coordenando o Projeto “Portal Cachoeira”. Foi Historiador da Prefeitura Municipal de Ouro Preto, produzindo uma série de textos sobre a história desta importante cidade brasileira. Foi membro titular do Conselho de Patrimônio e do Conselho de Turismo do município de Ouro Preto. Foi professor da FAOP (Fundação de Arte de Ouro Preto), onde lecionou as disciplinas Iconografia Cristã, História da Arte do Brasil e Barroco Mineiro. Foi coordenador da CODACIS/IFMG. É membro do Conselho Gestor do Museu Casa dos Inconfidentes, Ouro Preto. Atualmente é Professor Efetivo do IFMG (Instituto Federal de Minas Gerais). É membro do CEIB (Centro de Estudos da Imaginária Brasileira). É coordenador do Laboratório de Memória Institucional do IFMG, campus Ouro Preto. Possui diversos textos publicados sobre Barroco Mineiro e História de Ouro Preto, entre eles cumpre destacar o livro “Ouro Preto: Um Novo Olhar” e a co-autoria e organização do livro “Poderes e Lugares de Minas Gerais: Um quadro urbano do interior brasileiro, séculos XVIII- XIX”.
ANA BEATRIZ ARAÚJO
Graduada em Tecnologia de Conservação e Restauro pelo Instituto Federal de Minas Gerais. Atualmente trabalha como Gestora Cultural em Tecnologia de Conservação e Restauro de Bens Imóveis na Fundação de Arte de Ouro Preto – FAOP, tendo como principais atividades: Elaboração de projetos de conservação e restauração de bens imóveis; Acompanhamento da execução de projetos de conservação e restauração de bens imóveis; Pareceres técnicos do estado de conservação de edificações históricas; Representante suplente da fundação no Conselho de Patrimônio – COMPATRI da cidade de Ouro Preto – MG entre outros.
ANTÔNIO CLARET
Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Ouro Preto (1978), mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1983) e doutorado em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1991). Fez estágio de pós-doutoramento na University of Sheffield, UK, em 1999. Em 2011, fez pós-doutoramento na Lund University, Department of Fire Safety Engineering and Systems Safety. Atualmente é Professor Titular da Universidade Federal de Ouro Preto, atuando em ensino e pesquisa nas áreas de Engenharia de Estruturas em Incêndio, Modelamento de Incêndios, Reação ao Fogo de Materiais, Comportamento Humano em Incêndios e Análise de Riscos com especial atenção à Segurança contra Incêndio de Sítios Históricos. É bacharel em Direito, havendo lecionado Direito Constitucional, Direito Civil e Processual Civil. Atualmente se interessa por temas da interface Risco, Direito e Sociedade.
ANTÔNIO GILBERTO COSTA
Possui graduação em Geologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1979) e doutorado em Petrologia e Petrografia pela Technische Universitaet Clausthal Zellerfeld / Alemanha (1987). Atualmente é professor da Universidade Federal de Minas Gerais, onde coordena o Centro de Referência em Cartografia Histórica da UFMG, o Laboratório de Caracterização Tecnológica de Rochas com aplicação Industrial -LABTECRochas e dirige o Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG . Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Petrologia e Petrografia de Rochas Ígneas e Metamórficas, Rochas Ornamentais e de Revestimento e em Cartografia Histórica. Atua principalmente nas seguintes áreas: caracterização tecnológica de rochas, alterabilidade e estudo de monumentos pétreos, petrologia e petrografia de rochas metamórficas de alto grau e cartografia histórica da região sudeste do Brasil. Tem experiência em administração universitária, que envolve direção de colegiado de curso, unidade acadêmica, rede de museus universitários, centro de pesquisa, laboratório de pesquisa e centro de referência.
BERNARDO ANDRADE
Graduado em História (Licenciatura) pela Universidade Federal de Ouro Preto-UFOP (2007), pós-graduado em História da Cultura e da Arte pela Universidade Federal de Minas Gerais-UFMG (2009), mestrando em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável na Escola de Arquitetura da UFMG (2014-16) e graduando em Museologia pelo UFOP (ingresso em 2015-2). Tem larga experiência em pesquisa e assessoria/consultoria nas grandes áreas da História, Patrimônio Cultural, Museologia, Turismo e Educação, tendo participado de importantes projetos e iniciativas em diversas regiões, incluindo outros estados. Possui trabalhos publicados e apresentações em eventos internacionais, além de uma vasta produção técnica. Em Ouro Preto, sua cidade natal, integrou a equipe dos projetos Museu Aberto Cidade Viva (2004-05), Programa de Educação Patrimonial Trem da Vale (2006-14), IPAC (2007-8), pesquisa para diversas restaurações de igrejas, capelas e prédios históricos, desenvolvimento do Projeto Patrimônio na Fonte (2015-16), entre várias outras iniciativas. Recentemente, realizou para a ADOP a pesquisa histórica e iconográfica e produziu o roteiro para o vídeo institucional do Paço da Misericórdia Centro de Artes e Fazeres de Ouro Preto, a ser instalado no edifício da antiga Santa Casa.
CAROLINA NARDI
Especialista em Restauração de Bens Culturais Móveis pelo CECOR e Mestra em Artes Visuais na área de concentração de Arte e Tecnologia da Imagem, ambos pela Escola de Belas Artes da UFMG.  Experiência de 25 anos em restauração e conservação de bens culturais móveis e integrados. Entre outros serviços, coordenou a restauração das pinturas parietais e telas do forro do Museu Mineiro, bem como o forro pintado por Guignard pertencente ao Edifício Guignard, em Belo Horizonte. Em Ouro Preto coordenou a restauração de dois retábulos da Igreja do Rosário da Paróquia do Pilar e dos bens artísticos integrados da Capela de Bom Jesus das Flores do Taquaral, Igreja de Santa Efigênia e Igreja de São José.
 CARMEM CARVALHO 
Graduada em Licenciatura em Artes plásticas com habilitação em desenho na UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro – (formada em 2001). Bacharel em Desenho Industrial na UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro – (formada em 1980). Pós-graduada em Especialização em Técnica de Representação Gráfica na UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro e atualmente cursa Bacharel em escultura na UFRJ.

Foi professora, do Projeto a Arte faz o ofício (Comunidade Solidária) na Comunidade da Vila Vintém, 1999 até 2001, na Comunidade da Mangueira, de 2001 até 2002 e professora do ensino médio e fundamental do colégio Estadual Ricarda Leon, 2000 – 2001. De 2000 –2001 lecionou no Colégio de Aplicação da UFRJ.

Execução de trabalhos de conservação e restauração de telas, papel, mobiliário, imaginária e matrizes xilográficas para a Pinacoteca Banerj, Instituto Do  Patrimônio Histórico Nacional (Iphan), Secretaria Municipal De Cultura Do Rio De Janeiro  E Particulares. Além de restaurações Casa De Espanha, Acervo Banerj (Atualmente Museu Do Ingá), Museu Histórico Nacional, Museu De Arte Religiosa e Tradicional De Cabo Frio, Mosteiro De São Bento, Sítio Roberto Burle Marx, Teatro Municipal Do Rio De Janeiro.

CLAUDIA MARIA ARCIPRESTE
Arquiteta e Urbanista (EAUFMG); Doutora em Arquitetura e Urbanismo (FAU/ USP); Mestre em Educação (Faculdade de Educação/UFMG), Professora do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UFOP, atuando nas áreas de Projeto Arquitetônico, Projeto de Interiores e Projeto de Iluminação.
DEISE LUSTOSA
Graduada em Arquitetura e Urbanismo pelo Instituto Metodista Izabela Hendrix; Especialista em Conservação e Restauro de Edifícios pela Universidade Federal da Bahia; Atualmente atua na empresa Projeto Hexágono Consultoria e Engenharia Ltda.
DENISE CAMILO
EDUARDO TRÓPIA
Fotógrafo com  mais de 41 anos de atuação realizando trabalhos em destinos turísticos, fotografias industriais, editoriais, Artes Plásticas e Artes Cênicas. Lecionou fotografia na FAOP e ministra oficinas periodicamente em Ouro Preto, cidade onde vive. Produziu exposições em Ouro Preto, dentre elas: “Memória dos Festivais de Inverno Ouro Preto Mariana”, “Ouro Preto Jazz Tudo é Jazz” e “Ruas de Minha Vida”, que também foi exposta na cidade de Lagos, em Portugal, durante o Cineport 2006. Em Belo Horizonte e São Paulo assinou a exposição “E nós que nem sabemos. Apresentou trabalhos na Casa Cor Minas em 2012 e 2013. Integrou “Minas Território das Artes” no Palácio das Artes em maio de 2014. Integrante o coletivo “Olho de Vidro” há 09 anos. Além de fotógrafo é gestor do site ouropreto.com.br e consultor editorial para sites de informações culturais e turísticas.
FERNANDO VALE
Possui graduação em Ciências Biológicas, Licenciatura e Bacharelado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1984 e 1985), mestrado em Ciências Biológicas (Botânica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1989) e doutorado em Biociências (Botânica) pela Universidade de São Paulo (1999). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Minas Gerais, tendo trabalhado como professor de 1992 a 2002 na Universidade Federal de Viçosa, no departamento de Biologia Vegetal. Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em Anatomia Vegetal, atuando principalmente nos seguintes temas: morfologia de plantas sob estresse, plasticidade fenotípica, cerrado, campo rupestre.
FERNANDO CARDOSO
Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Viçosa e Mestrado em Engenharia Civil. Atualmente é estudante de doutorado em Engenharia Civil e dedica-se ao estudo da utilização de pigmentos de solos para a produção de tintas destinadas à construção civil. É membro fundador do Projeto Cores da Terra, que realiza pesquisa e difusão de técnicas de produção de tintas com pigmentos de solos, e também é membro das Redes TerraBrasil e PROTERRA, que congregam estudiosos do tema da arquitetura e construção com terra em âmbitos brasileiro e ibero-americano, respectivamente.
IVANI WALENDY RAMOS
Graduada em Tecnologia em Conservação e Restauro de Bens Imóveis, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais – IFMG – (2011), também em Comunicação Social – Universidade Metodista de São Paulo – UMESP –(1987). Tem o curso técnico em Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis pela Fundação de Arte de Ouro Preto (FAOP) – MG – (2007). Além do curso de Desenvolvimento e Gestão Cultural – Ouro Preto-(2009) – Governo de MG. Apresentação e aprovação de Projeto: Educação Patrimonial em Ouro Preto – Bairros.Atua em assessoria e acompanhamento dos trabalhos de conservação e restauração na Igreja Matriz N. S. da Conceição de Ouro Preto. Intervenção no forro em estuque com pinturas artísticas – tratamento estrutural, procedimentos emergenciais e proteção das pinturas (2015 e 2016), conservação e restauro de pinturas murais em residências antigas do Centro Histórico de Ouro Preto. Tratamento do suporte em painéis de pau-a-pique, restauração de pinturas artísticas, prospecções pictóricas e externas e internas de edificações ( 2010 e 2016), coordenação e execução de trabalhos como restauradora técnica em igrejas de pequeno e grande porte: Igreja Matriz de São Domingos – Araxá/MG (2012); Igreja Matriz e Capela de Santana de Conceição do Mato Dentro e Distritos (2014); Igrejas de São José (2011) e de Santa Efigênia de Ouro Preto (2008-2009), catalogação de acervos na igreja Matriz de Catas Altas da Noruega-MG, elaboração de Projeto de Restauro de elementos artísticos integrados da Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, em Ouro Preto (2012)- IPHAN-OP, e conservação e restauro de imaginária, livros gravuras, etc., em ateliê de prestação de serviços da FAOP – Fundação de Arte de Ouro Preto (2011) e ateliê particular (2007-2016).
JORGE FERNANDEZ
Arquiteto graduado pela Faculdade de Arquitetura, Arte e Design na Universidade Nacional de Assunção e doutor pela Escola Técnica Superior de Arquitetura na Universidade de Navarra, Espanha.

Lecionou Artes Plásticas em diversas instituições: Colegio Nacional de Ninãs Asunción Escalada (1987-1990); Escola Nacional de Comércio Nº 3 (1985-1990); Colégio Campoalto (1999-2013); Vice-diretor do Colegio Campoalto (1999); Diretor do Nível Primário do Colégio Campoalto (2011-2012); Coordenador Acadêmico do Curso Preparatório de Admissão da Faculdade de Arquitetura, Arte e Design, UNA (1996-1998). Professor adjunto da cadeira de História da Arquitetura V, na Faculdade de Arquitetura, UNA. Professor de Introdução a Linguagem de Artes, História da Arte I, História do Design Gráfico I e II e História da Cultura Paraguaia do Instituto Superior de Bellas Artes, MEC. Coordenador da Área de Teoria e História da Arquitetura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Católica. Representante da Universidade Católica para o Conselho consultivo para a proteção do Patrimônio Urbano, Ambiental, Histórico, Artístico e Urbanístico da cidade de Assunção (2003).

É representante titular no Conselho de Educação Superior (CONES), Conselho de Reitores da Universidade e Conselho de Administração Geral dos Institutos Superiores.

LUANA SAFAR REDINI
Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural do IPHAN em andamento; Graduada no curso superior de Conservação e Restauro pelo Instituto Federal Minas Gerais (IFMG- OURO PRETO); Foi representante titular do corpo discente no Conselho Acadêmico do IFMG- Ouro Preto; Concluiu pesquisa como bolsista PIBIC-CNPq do projeto de pesquisa e extensão do IFMG – ‘’INVENTÁRIO DOS ESTUQUES ESTRUTURAIS DOS FORROS DAS EDIFICAÇÕES RELIGIOSAS HISTÓRICAS DE OURO PRETO, MARIANA E DISTRITOS’’, sob coordenação do Dr. M. Professor Alexandre Ferreira Mascarenhas; Concluiu pesquisa como bolsista PIBIC-CNPq do Projeto de Doutorado do Professor M. Ricardo Ali Abdalla “A MUDANÇA DA CAPITAL E A CONSTRUÇÃO DE UMA IDENTIDADE PARA OURO PRETO” – IFMG; Concluiu como bolsista PIBIC-CNPq o Projeto Doutorado Professor M. Alex Fernandes Bohrer “O Estilo Nacional Português em Minas e seus Antecedentes Luso-Brasileiros…Circularidade Cultural e Produção Artística nas Minas Setecentistas” – IFMG ; Concluiu como bolsista PIBIC-CNPq o Projeto Doutorado do Professor M. Alex Fernandes Bohrer “O Estilo Nacional Português em Minas Gerais” – IFMG (INSTITUTO FEDERAL DE MINAS GERAIS OURO PRETO).
LUIZ CARLOS DO CARMO
LUIZ CRUZ
Mestrado em Arquitetura e Urbanismo pela UFMG (2013/2015). Especialização em Língua Inglesa pela UNIGRANRIO/RJ (2002). Especialização em Administração e Manejo de Áreas de Conservação pela UEMG (1995). Graduado em Letras pelo Centro Universitário de Lavras/UFSJ (1987-1992). Estudou na Escola de Artes Visuais do Rio de Janeiro (1980 -1985) e na Fundação de Artes de Ouro Preto (1977-1980). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Letras, atuando principalmente nos seguintes temas: patrimônio imaterial e material, especialmente sobre o patrimônio edificado, sobremaneira em Tiradentes e região. Participa de exposições de artes individuais e coletivas. Tem realizado curadorias de exposições dedicadas ao patrimônio cultural e ambiental. Publicou livros na área de patrimônio e memória. Foi coordenador do Programa de Educação Patrimonial de Tiradentes, patrocinado pelo BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Social 2013/2015. Coordenador do Projeto de Educação Patrimonial da EEAP, em Santa Cruz de Minas/MG.
LEANDRO RESENDE
Possui Graduação em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (Licenciatura/2012) e Mestrado em História Social da Cultura pela mesma instituição (2016), onde defendeu a Dissertação O monte Carmelo nas montanhas de Minas: Arte, iconografia e devoção nas Ordens Terceiras do Carmo de Minas Gerais (séculos XVIII e XIX). Possui experiência na área de História, com ênfase em História da Arte e Paleografia, atuando nos principais temas: iconografia cristã, símbolos religiosos, irmandades, ordens terceiras e arte brasileira dos séculos XVIII e XIX. Possui diversos textos publicados relacionados à iconografia religiosa e ritos católicos, colocando em destaque um capitulo sobre o repertório iconográfico da Capela de São José no livro Capela de São José dos homens pardos em Ouro Preto: história, arte e restauração publicado em 2015.
MARIA CRISTINA SIMÃO
Possui graduação em Arquitetura pela Universidade Federal de Minas Gerais (1983) e mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2000). Atualmente é doutoranda do Programa de Pós Graduação em Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro – PROURB/UFRJ e pesquisadora do Laboratório de Direito Urbanístico – LADU. Professora do Curso Superior de Tecnologia em Conservação e Restauro desde 2006, foi Diretora de Graduação e Pós Graduação do IFMG Campus Ouro Preto de agosto de 2009 a junho de 2013. Foi Diretora de Promoção e Extensão da Fundação de Arte de Ouro Preto, professora na Faculdade de Arquitetura da Universidade FUMEC, em Belo Horizonte, sócia da empresa Gratiae Urbs Consultoria e técnica em preservação arquitetônica do IPHAN por 12 anos. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Preservação do Patrimônio Cultural em Núcleos Urbanos, atuando principalmente nos seguintes temas: gestão e planejamento urbano, preservação do patrimônio cultural, conservação e restauração, diretrizes para intervenções urbanas e sua interseção com planejamento da atividade turística.
NEY NOLASCO
Possui graduação em Engenharia civil pela Universidade Federal de Ouro Preto (1982), especialização em Engenharia de Barragens pela UFOP e mestrado em Pedagogia Profissional pelo Instituto Superior Pedagógico para la Educación Técnica y Profesional Héctor Zaldívar/Cuba em 2002. Atualmente é professor efetivo do Instituto Federal Minas Gerais, mestrando em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento na FUMEC, membro da comissão de arte sacra – ARQUIDIOCESE DE MARIANA e membro do conselho curador da Fundação de Arte de Ouro Preto, atuando principalmente nos seguintes temas: conservação, restauração, restauradores, construções, educação profissional e educação a distância.
PAULO MARCOS DE BARROS MONTEIRO
Possui Graduação em Engenharia Eletrônica e de Telecomunicações pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1978), Mestrado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Uberlândia (1994) e Doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (2002). Atualmente é Professor Titular da Escola de Minas da Universidade Federal de Ouro Preto e Professor Colaborador do Departamento de Engenharia Agrícola da Universidade Federal de Viçosa. Tem experiência na área de Automação e Controle de Processos, atuando principalmente nos seguintes temas: automação e controle de processos agrícolas, projetos elétricos e de iluminação.
RÉGIS MARTINS
Régis Eduardo Martins é professor nos cursos de Arquitetura e Urbanismo das Faculdades Santo Agostinho e das Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros. Possui titulação como mestre em Educação Tecnológica pelo CEFET-MG (2013) e especialista em Gestão do Patrimônio Histórico e Cultural pela UFMG (2011). Graduado em Tecnologia em Conservação e Restauro pelo IFMG (2010), além de docente, atuou em projetos de restauração como autônomo e junto à Fundação de Arte de Ouro Preto (FAOP). Atualmente é coordenador do Grupo de Pesquisa em História e Teoria da Arquitetura e Urbanismo do curso de Arquitetura e Urbanismo das Faculdades Santo Agostinho, no qual lidera os GT História, Patrimônio e Preservação e do Núcleo de Preservação do Patrimônio Arquitetônico do Norte de Minas.
RODRIGO MENICONI
Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Escola de Arquitetura da UFMG (1980), especialista em Restauração pela Scuola di Perfezionamento per lo Studio ed il Restauro dei Monumenti pela Università di Roma (1984), e mestre em Arquitetura pela Escola de Arquitetura da UFMG (1999). Foi professor de História da Arquitetura e do Urbanismo e de Técnicas Retrospectivas no Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo da PUC MInas, de Gestão do Patrimônio Cultural, no Curso de Especialização em Planejamento Ambiental Urbano da PUC Minas, e de História da Arquitetura e do Urbanismo e de Projeto no Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix. Atualmente é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Ouro Preto, MG. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em conservação e restauração de monumentos.
RODRIGO BAÊTA
Arquiteto, formado em 1994 pela Escola de Arquitetura da UFMG, Especialista pelo Curso de Conservação e Restauração de Monumentos e Sítios Históricos (IX CECRE UFBA) e pelo Curso Ciudades y Viviendas de Iberoamérica, oferecido pelo Centro Nacional de Conservación, Restauración y Museología (CENCREM), La Habana, Cuba. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (PPGAU UFBA), Área de Concentração em Conservação e Restauro, finalizado em 2003, quando foi aprovado com distinção. Doutor pelo mesmo programa, Área de Concentração em Conservação e Restauro, concluído em 2011, quando foi aprovado com distinção e indicação para publicação; fez Estágio de Doutoramento no Exterior junto ao Dipartamento di Storia dell?Architettura, Restauro e Conservazione dei Beni Architettonici da Università degli Studi di Roma, La Sapienza. Atualmente ministra disciplinas nas áreas de História da Arte, História da Arquitetura e da Cidade, Conservação e Restauração do Patrimônio Edificado e Projeto de Arquitetura e Urbanismo, sendo Professor Adjunto II da Faculdade de Arquitetura da UFBA. É Professor Permanente do Mestrado Profissional em Conservação e Restauração de Monumentos e Núcleos Históricos (MP-CECRE UFBA), bem como seu coordenador. É Professor Permanente do PPGAU UFBA. O Professor Rodrigo Baeta participou, de fevereiro de 2009 a abril de 2015, do Colegiado do Curso Noturno em Arquitetura e Urbanismo da FAUFBA e desde outubro de 2012 faz parte da Congregação da mesma instituição. Também em outubro de 2012 se juntou ao Colegiado do MP-CECRE UFBA e em junho de 2014 passou a compor o Colegiado do PPGAU UFBA. Faz parte do Núcleo de Apoio à Pesquisa e à Produção Editorial do PPGAU (NAPPE PPGAU UFBA), sendo editor dos Cadernos PPGAU. De primeiro de janeiro de 2013 a 31 de dezembro de 2014 (mandato de 2 anos), compôs a Diretoria Executiva da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Arquitetura e Urbanismo (ANPARQ), vindo a ser um dos três diretores da associação. É representante, para a FAUFBA e para o MP-CECRE UFBA, da Rede PHI (Patrimonio Histórico-Cultural Iberoamericano) – rede de pesquisa internacional, com quatro anos de existência, sediada na Universidad Politécnica de Madrid. É membro do ICOMOS desde maio de 2015 (International Council on Monuments and Sites). Com capítulos de livro, traduções e inúmeros artigos publicados em revistas científicas e anais de eventos, o autor é particularmente versado no estudo do Barroco, principalmente na investigação da arquitetura do período e em sua expressão no espaço urbano das cidades européias, hispano-americanas e luso-brasileiras. Contudo, também atua nas áreas de Conservação e Restauração do Patrimônio Edificado e em Projeto de Arquitetura e Urbanismo. No ano de 2010 lançou, pela EDUFBA (Editora da Universidade Federal da Bahia) e com financiamento da FAPESB (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia), o livro O Barroco, a arquitetura e a cidade nos séculos XVII e XVIII (368 páginas), publicação que recebeu o Prêmio da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo – ANPARQ 2012: melhor livro autoral. Em 2012 lançou, também pela EDUFBA, mas em parceria com o PPGAU UFBA, e com financiamento da FAPESB, o livro Teoria do Barroco (216 páginas). Em 2015 lançará, pela mesma editora, e com recursos da Pró-Reitoria de Pesquisa Criação e Inovação da UFBA (PROPCI) o livro, em dois volumes, Teatro em grande escala: a cidade barroca e sua expressão na América hispânica (1000 páginas). Este trabalho, derivado da tese de doutorado de mesmo nome (tese que recebeu Menção Honrosa pelo Prêmio CAPES de Tese, Edição 2012, Área de Arquitetura e Urbanismo), será publicado em formato digital. Tem participado de Comitês Científicos de importantes eventos, como o Arquimemória, Arquitetura e Documentação e o Projetar. É Representante Suplente (para a Faculdade de Arquitetura da UFBA) do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural da Fundação Gregário de Matos.
RONALDO MARTINS
Graduado em Tecnologia em Conservação e Restauro de Bens Imóveis – IFMG/Ouro Preto (2014), Técnico em Conservação e Restauro de Bens Móveis pela FAOP – Fundação de Arte de Ouro Preto (2010), Atualmente trabalha como Conservador e Restaurador da UFV – Universidade Federal de Viçosa.
SÉRGIO NORBERTO
Possui graduação em Conservação e Restauro pelo Instituto Federal Minas Gerais; Especialista em Cultura e Arte Barroca pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP).

 

Realização Apoio Patrocínio 
IFMG_Ouro Preto_Horizontal RGB logo_ufop 7f52b1d147058f2aa56f5a0fadca75ea0f59883f  iphan50 download
logo_restauro65 timthumb logo-museu-inconfidencia_site
 LOGO_LEGRAPHAR_curvas_colorido_JPG  Logo_da_Pousada
logo_adop_site  adega-ouro-preto
hexaghono brasaoarquiMariana
IMG_0059 150_150_quadrado_a323072966748b92c7fed96cbc6e5d75ed72c69f